Destaques

Últimas Notícias

Publicada em 20.03.2013 ás 10:42

CRATO: Ely Aguiar reclama da Câmara na hora de votar para deputado

Por:

Segundo o parlamentar, os vereadors votam em candidatos paraquedistas e na hora de reivindicar emendas e projetos para o município, cobram dele e de Sineval Roque, quando deveriam cobrar de seus preteridos (Foto: Divulgação)

O deputado estadual, Ely Aguiar PSDC, disse que os vereadores do Crato são interessantes. Na hora de votar em deputados, votam em candidatos paraquedistas e na hora de reivindicar emendas e projetos para o município, cobram dele e de Sineval Roque, quando deveriam cobrar de seus preteridos.

“Não sei por que os vereadores do Crato, para Assembléia Legislativa, não votam em filhos da terra, preferindo candidatos desconhecidos dos eleitores e descompromissados com o município. Como se trata de um mercado sem recibo, não tenho como provar que eles recebem dinheiro para votar e pedir votos. Mas quero dizer que nenhum candidato a deputado é votado fora de seu domicilio eleitoral sem gastar dinheiro. Nunca fui procurado ou recebi requerimentos de nenhum vereador do Crato, me pedindo nada, exceto Francisco Helder França (GUER)”, concluiu Ely Aguiar. Informados sobre as declarações do deputado Ely Aguiar, os vereadores não quiseram entrar no mérito da questão sem antes ouvir o parlamentar e afirmaram apenas que o deputado eleito votado por eles representa o estado como um todo e não somente o seu município de origem.

O vereador Francisco Helder França (GUER), eleitor de Ely Aguiar e que nas eleições de deputado em 2006 e 2010 era presidente da câmara municipal, explicou que não ver nada de absurdo seus colegas votarem em candidatos de outros domicílios, desde que estes tragam benefícios para o Crato. O vereador Thiago Esmeraldo, que votou em Neto Nunes em 2010, disse que se deve votar no deputado interessado em ajudar o Crato, embora admita que nos últimos dois anos seu deputado nada trouxe para o município cratense. Já o atual presidente do legislativo municipal, Luiz Carlos, não quis comentar as declarações de Ely Aguiar alegando desconhecer oficialmente o assunto e que o caso está entregue ao departamento jurídico da casa. O vereador Amadeu de Freitas, que em 2006 votou em Iris Tavares e em 2010 no candidato Antonio Carlos, disse que em parte Ely Aguiar tem razão nas suas colocações. Conforme Amadeu, é do conhecimento de todos que a câmara do Crato se divide na eleição para deputado com cada vereador votando em candidatos diferentes. Para o vereador petista, cabe ao prefeito abrir canais de conversas com esses deputados votados no município. Espera que Ronaldo Gomes de Matos faça isto, concluiu Amadeu de Freitas.

Conforme o cartório eleitoral da 27ª zona do Crato, na eleição de 2006 para deputado, foram votados no município 363 candidatos e na eleição de 2010 foram 317, tanto para a Câmara Federal como para a Assembléia Legislativa, mesmo com 10 nomes filhos da terra postulando vagas na Assembléia e na Câmara dos deputados e que foram, parcialmente, ignorados pelos eleitores. Para muitos, o habito de o eleitor cratense votar em candidatos pára-quedistas tem prejudicado sensivelmente o desenvolvimento do município. Os deputados estaduais Ely Aguiar PSDC e Sineval Roque PSB, quase perdiam seus mandatos por causa da baixa votação obtida entre os seus eleitores cratenses. Na eleição de 2006 Sineval Roque tirou 12.531 votos e na de 2010 caiu para 9.550. Ely Aguiar em 2006 foi votado por 9.914 cratenses e em 2010 sua votação foi reduzida para 4.111 votos, preferências muito abaixo da media esperada pelos dois parlamentares.

Crato.org

Comentarios